Informação profissional para a indústria alimentar portuguesa
O Food Fraud representa um grande avanço no desenvolvimento de tecnologias rápidas e eficazes contra a fraude alimentar

A fraude alimentar poderá ter os dias contados graças a inovadoras técnicas de sequenciação massiva

10/11/2023

A empresa espanhola Laboratorios Tecnológicos de Levante lidera o projeto de investigação Food Fraud, que aplica técnicas genómicas de sequenciação massiva no setor alimentar. O projeto demonstra a infalibilidade destas técnicas inovadoras como metodologia de análise e certificação da composição dos alimentos, para garantir a qualidade dos mesmos e combater a fraude relacionada com a rotulagem incorreta ou a substituição de ingredientes.

A fraude alimentar poderá ter os dias contados. Carnes, peixes ou produtos veganos e vegetarianos, entre outros, contam desde o início do ano com um novo sistema de análise, cujos avanços em investigação e desenvolvimento permitiram o lançamento deste serviço com excelentes resultados. Uma revolução que deverá tornar-se no grande cavalo de batalha das práticas fraudulentas do setor alimentar. Trata-se de um projeto de investigação desenvolvido pela empresa espanhola Laboratórios Tecnológicos de Levante, financiado pelo Instituto Valenciano de Competitividade Empresarial (IVACE) da Generalitat Valenciana, através dos fundos do FEDER, que acabará com as negligências que hoje em dia continuam a ocorrer na composição de ingredientes e nas rotulagens da indústria alimentar.

A Espanha é a quarta maior economia exportadora de alimentos da União Europeia e, apesar do esforço da indústria alimentar para oferecer elevados padrões de qualidade, hoje em dia, continua a ser detetada uma elevada taxa de fraude alimentar. Um problema que preocupa governos, consumidores e também as empresas do setor da alimentação que veem a sua competitividade ameaçada.

As técnicas genómicas utilizadas no projeto são baseadas na sequenciação massiva (NGS, Next Generation Sequencing)...

As técnicas genómicas utilizadas no projeto são baseadas na sequenciação massiva (NGS, Next Generation Sequencing).

O projeto denominado Food Fraud, liderado pela empresa LTL, demonstra a infalibilidade da aplicação das técnicas genómicas como metodologia de análise e certificação da composição dos alimentos, a fim de garantir a qualidade dos mesmos e combater a fraude alimentar relacionada com a rotulagem incorreta ou a substituição de ingredientes, entre outras situações. A investigação já permitiu o desenvolvimento e a implementação desta metodologia na carne e no peixe, duas das cinco categorias de alimentos que mais investigações suscitam por ano, e continuará a alargá-la a outras variantes.

O Food Fraud representa um grande avanço no desenvolvimento de tecnologias rápidas e eficazes contra a fraude alimentar, demonstrando de forma pioneira a viabilidade técnica da sequenciação massiva no âmbito da alimentação. Os resultados obtidos até ao momento pelos Laboratórios Tecnológicos de Levante demonstram o valor destes novos procedimentos de qualidade para proteger as empresas agroalimentares, que trabalham com rigor para proporcionar aos consumidores total segurança nos produtos que consomem.

As técnicas genómicas utilizadas no projeto são baseadas na sequenciação massiva (NGS, Next Generation Sequencing). Através da utilização destas técnicas, todo o ADN presente numa amostra de alimento é isolado, amplificado e, posteriormente, identificado com uma das diferentes espécies às quais pertencem essas cadeias de ADN amplificado. Isto permite, de forma diferencial e num único ensaio, extrair o total de espécies que se incluem num alimento, em vez de realizar deteções únicas, como se tem feito.

Esta inovadora metodologia de ensaio de sequenciação massiva pressupõe grandes vantagens em relação aos métodos convencionais atualmente utilizados para a identificação de espécies em alimentos. As técnicas genómicas são capazes de detetar de forma ágil espécies que não são analisadas de modo rotineiro nos processos habituais, e também permitem a escalabilidade do número de amostras que são analisadas em cada lote.

Os resultados obtidos até ao momento pelos Laboratórios Tecnológicos de Levante demonstram que “os métodos de sequenciação massiva utilizados são uma ferramenta útil para detetar a presença de espécies indesejadas ou desconhecidas em amostras complexas de alimentos, o que representa um avanço definitivo para garantir a qualidade e fiabilidade da indústria alimentar”, segundo o departamento de Genómica destes laboratórios.

O projeto Food Fraud inclui um estudo económico de comparação entre as técnicas de sequenciação genómica investigadas e os métodos convencionais de identificação de espécies, que mostra como a genómica também pressupõe uma redução significativa dos custos e dos tempos de execução das análises. Um elemento essencial para despertar o interesse das empresas de alimentação, que ganhariam maior flexibilidade e agilidade na verificação dos alimentos e na sua colocação no mercado de forma segura e atrativa para o consumidor.

Os métodos de sequenciação massiva utilizados são uma ferramenta útil para detetar a presença de espécies indesejadas ou desconhecidas em amostras...

Os métodos de sequenciação massiva utilizados são uma ferramenta útil para detetar a presença de espécies indesejadas ou desconhecidas em amostras complexas de alimentos.

Mais segurança também para o consumidor

O projeto poderá pressupor o desenvolvimento de um protocolo analítico padronizado, eficiente e robusto que melhore a avaliação dos alimentos de consumo diário antes da chegada dos mesmos aos lineares de venda, para benefício das empresas de alimentação e dos consumidores. E com isso, será aberta a porta para a redação de uma legislação específica para estes processos de qualidade.

A evolução desta investigação considera a sua aplicação não só na carne e no peixe, mas também a sua extrapolação para todos os tipos de alimentos, o que proporcionará total segurança e um método unificado de garantia.

Da mesma forma, outra das ações de combate à fraude alimentar implementada por este projeto é a comparação que realizará dos resultados moleculares dos alimentos no mercado com as listas de informação nutricional, a fim de verificar a correta rotulagem do produto.

O projeto Food Fraud demonstra a eficácia dos métodos genómicos para certificar a composição dos alimentos

O projeto Food Fraud demonstra a eficácia dos métodos genómicos para certificar a composição dos alimentos.

Próximos passos do projeto

Os detalhes dos resultados obtidos até agora no Food Fraud mostram que o método já funciona de forma sensível e completamente fiável em carnes e amostras complexas (como hambúrgueres e carnes picadas); e está a ser aperfeiçoado para a deteção de peixe, “embora o objetivo final seja poder oferecer um produto que inclua todos os grupos de alimentos processados e não processados”, acrescentam os responsáveis pelo projeto Food Fraud.

No caso de deteção de espécies indesejadas ou desconhecidas, o método incluirá uma validação de verificação adicional baseada em qPCR, a qual permite certificar com precisão a presença da espécie indesejada, sendo detetada a sua presença sempre que esta seja igual ou superior a 0,1% do total do alimento, de acordo com o limite de deteção do método (LOD 95%).

De forma adicional, o Food Fraud incluiu o aperfeiçoamento de métodos baseados em qPCR para certificar a ausência de ADN de carne e peixe em produtos veganos. Tal pode ser usado como uma ferramenta útil por si só, ou no futuro ser acompanhado pela sequenciação massiva de alimentos de origem vegetal em que se pretenda certificar a ausência de ADN de vertebrados.

Processo de deteção de fraude alimentar baseado em técnicas de metabarcoding

Processo de deteção de fraude alimentar baseado em técnicas de metabarcoding.

Siga-nos

Subscrever gratuitamente a Newsletter semanal - Ver exemplo

Password

Marcar todos

Autorizo o envio de newsletters e informações de interempresas.net

Autorizo o envio de comunicações de terceiros via interempresas.net

Li e aceito as condições do Aviso legal e da Política de Proteção de Dados

Responsable: Interempresas Media, S.L.U. Finalidades: Assinatura da(s) nossa(s) newsletter(s). Gerenciamento de contas de usuários. Envio de e-mails relacionados a ele ou relacionados a interesses semelhantes ou associados.Conservação: durante o relacionamento com você, ou enquanto for necessário para realizar os propósitos especificados. Atribuição: Os dados podem ser transferidos para outras empresas do grupo por motivos de gestão interna. Derechos: Acceso, rectificación, oposición, supresión, portabilidad, limitación del tratatamiento y decisiones automatizadas: entre em contato com nosso DPO. Si considera que el tratamiento no se ajusta a la normativa vigente, puede presentar reclamación ante la AEPD. Mais informação: Política de Proteção de Dados

ialimentar.pt

iAlimentar - Informação profissional para a indústria alimentar portuguesa

Estatuto Editorial