Informação profissional para a indústria alimentar portuguesa
É a única conserveira em Portugal que mantém toda a sua produção elaborada através do método tradicional

Conserveira Pinhais assinala Dia Mundial da Sardinha

24/11/2022
Empresa centenária que tem um Museu-Vivo da indústria conserveira assinala o dia de um produto ícone da nossa gastronomia.
foto
95% das vendas de conservas de sardinha da Pinhais são de consumidores internacionais. A empresa transaciona para mais de 60 mercados além-fronteiras.
A 24 de novembro celebra-se o Dia Mundial da Sardinha e a Pinhais, centenária conserveira de Matosinhos, assinala a data com várias atividades. O dia visa celebrar e reconhecer a importância desta espécie, uma das mais icónicas da nossa gastronomia. Consciente da importância da sardinha para a nossa cultura, a Pinhais reclama a celebração deste dia para Portugal, que lembra a sardinha em todas as suas dimensões, seja nutricionalmente, a sua versatilidade gastronómica e, claro, a relação com as nossas tradições culturais, como os Santos Populares.

Para Patrícia Sousa, diretora de marketing da Pinhais, “para nós faz todo o sentido celebrar o Dia Mundial da Sardinha, cuja importância da data acreditamos ser relevante para o calendário nacional. Falamos da sardinha, uma espécie nobre e de eleição dos portugueses, cuja qualidade é reconhecida internacionalmente, sendo a principal matéria-prima da Pinhais e que garante a qualidade superior e excelência das nossas conservas artesanais. Se sempre valorizamos a importância desta espécie, desde a inauguração do nosso Museu-Vivo da indústria conserveira que assumimos ainda mais a responsabilidade de ressaltar a importância deste produto, símbolo da nossa cultura”.

Receitas com notas de mar para celebrar 'O Dia da Sardinha'

Trazida ainda a bulir da lota e usada nas conservas da Pinhais, a sardinha presta-se a receitas versáteis, proporcionando inúmeras possibilidades gastronómicas, seja diretamente da lata como entrada, ou como prato principal, mas sempre com a sardinha portuguesa como protagonista.
Neste sentido, para celebrar o Dia Mundial da Sardinha, a Pinhais cria um menu especial, uma receita de arroz de sardinha em tomate, confecionado pelas mãos experientes da D. Luzia, colaboradora há mais de 30 anos. A iguaria será servida a parceiros e alguns clientes Pinhais, assim como aos quatro vencedores de um passatempo lançado pela conserveira na sua página de Facebook, que irão usufruir de uma experiência gastronómica com notas de mar.

Também no dia 24, com o objetivo de dar a conhecer a versatilidade das conservas da Pinhais, os visitantes do Museu-Vivo poderão saborear, por um preço simbólico de três euros, uma outra especialidade exclusiva para celebrar o Dia da Sardinha, a receita “guardanapo de sardinha”. Esta iguaria é preparada com queijo-creme, um guacamole com assinatura Pinhais, a que se juntam conservas da mais elevada qualidade e ingredientes frescos e naturais, sardinhas em azeite picante ou só em azeite Pinhais, uma proposta da Madalena e da Joana, equipa do Can-Tin, espaço de degustação que acolhe o último momento da visita ao Museu-Vivo.

Sardinha: produto de identidade gastronómica

Este ano a campanha da pesca da sardinha iniciou-se em maio, tendo os pescadores de barcos da frota do cerco 29.400 mil toneladas como limite global de descargas de capturas, mais duas mil que em 2021. Referir que Portugal e Espanha desenvolveram um plano plurianual para o período de 2021 a 2026 para a gestão da sardinha, numa abordagem precaucionária, com limites de capturas, de acordo com o aconselhamento científico.

Em 2022, a Pinhais planeia absorver cerca de 900 toneladas de sardinha, quota semelhante à do ano anterior. A conserveira que mantém o método tradicional em 100%, sendo a única fábrica de conservas em Portugal que em toda a sua produção preserva a tradição secular, no ano passado produziu 4,1 milhões de produtos de sardinha, cerca de 95% dos quais absorvido por mercados além-fronteiras. A destacar o mercado o austríaco, logo seguido do norte americano, italiano e dos países nórdicos, aqueles que mais consomem conservas artesanais Pinhais e NURI, esta última marca de culto nos mercados internacionais.

Atualmente, através da sua loja online, a empresa direciona as suas vendas para mais de 60 mercados espalhados pelo mundo. No que concerne aos produtos de sardinha mais procurados, a sardinha pura em azeite é a conserva preferida dos consumidores nacionais e a sardinha picante a eleita pelos clientes internacionais.
foto
LFA

Subscrever gratuitamente a Newsletter semanal - Ver exemplo

Password

Marcar todos

Autorizo o envio de newsletters e informações de interempresas.net

Autorizo o envio de comunicações de terceiros via interempresas.net

Li e aceito as condições do Aviso legal e da Política de Proteção de Dados

Responsable: Interempresas Media, S.L.U. Finalidades: Assinatura da(s) nossa(s) newsletter(s). Gerenciamento de contas de usuários. Envio de e-mails relacionados a ele ou relacionados a interesses semelhantes ou associados.Conservação: durante o relacionamento com você, ou enquanto for necessário para realizar os propósitos especificados. Atribuição: Os dados podem ser transferidos para outras empresas do grupo por motivos de gestão interna. Derechos: Acceso, rectificación, oposición, supresión, portabilidad, limitación del tratatamiento y decisiones automatizadas: entre em contato com nosso DPO. Si considera que el tratamiento no se ajusta a la normativa vigente, puede presentar reclamación ante la AEPD. Mais informação: Política de Proteção de Dados

ialimentar.pt

iAlimentar - Informação profissional para a indústria alimentar portuguesa

Estatuto Editorial