Murrelektronik: Emparro fontes de alimentação de última geração
Informação profissional para a indústria alimentar portuguesa

Num estudo divulgado recentemente, a DLL Financial Solutions Partners analisa as razões pelas quais as empresas estão a investir cada vez mais em novas tecnologias

Principais tendências nas máquinas-ferramenta

26/10/2021
Essencial para manter em movimento as operações de fabrico em todo o mundo, o consolidado mercado das máquinas-ferramenta está a evoluir. À medida que aumenta a pressão sobre as empresas no sentido de reduzir custos e aumentar a produtividade, encontrando formas de trabalho mais baseadas na tecnologia, cresce a procura de soluções avançadas como a automatização, a nanotecnologia e a fabricação aditiva.
foto

A DLL Financial Solutions Partners, uma empresa de financiamento de ativos para equipamento e tecnologia, analisou as razões que estão a impulsionar as tendências futuras e como os fabricantes de máquinas-ferramenta e equipamento industrial podem estar melhor posicionados para satisfazer as novas necessidades dos clientes e resumiu-as no livro branco ‘5 Machine Tool Trends’, cujos ponto principais se resumem de seguida.

1. Eletrificação

À medida que a tecnologia relacionada com a eletrificação avança, os preço dos carros eléctricos tornam-se cada vez mais interessantes e as vendas aumentam. A simplicidade de fabrico de um veículo eléctrico, se comparado com um veículo de motor de combustão interna (ICE) - 20 peças móveis num veículo eléctrico contra cerca de 2000 peças para um ICE - vai ter efeitos em toda a cadeia de fornecimento, especialmente nos fornecedores de nível 2 e 3, que serão obrigados a adaptar-se a uma nova forma de trabalhar.

No entanto, até chegarmos ao ponto da total eletrificação, vamos assistir a um longo período de transição, com predominância de veículos híbridos, que implicam uma maior complexidade de fabrico e, logo, maior volume de trabalho metalomecânico.

Ao mesmo tempo, estão a entrar no mercado novos operadores, como produtores de baterias e empresas tecnológicas. Os OEM, em particular, devem adaptar-se ao mercado em mudança e aos novos operadores, para garantir que os seus produtos continuam a fornecer o que este mercado em rápida mudança procura.

foto
Os veículos híbridos implicam uma maior complexidade de fabrico e, logo, maior volume de trabalho metalomecânico. Fonte: DLL Financial Solutions Partners.

2. Automação e Indústria 4.0

Desde há cerca de 10 anos que existe uma tendência mundial para uma maior automatização na produção, com as empresas a adotarem tudo o que a Indústria 4.0 tem para oferecer, desde a computação em nuvem até à inteligência artificial. Muitas empresas reconhecem o poder destas inovações na implementação do chamado ‘fabrico inteligente’, oferecendo benefícios claros em torno do custo e produtividade, bem como um investimento à prova de futuro.

Para responder da forma mais completa à procura, os fabricantes de equipamento original (OEM) devem garantir que fabricam máquinas robotizadas, que possam ser integradas com soluções automatizadas e inteligentes (próprias ou de terceiros). Isto pode parecer um empreendimento dispendioso para um OEM, mas é fundamental para entregar o que os clientes procuram e manter-se à frente da concorrência.

Para aceder às soluções mais atualizadas, muitas empresas que precisam destes equipamentos irão provavelmente recorrer a opções de leasing que oferecem acesso rápido às mais recentes tecnologias, com a flexibilidade de poder devolver o equipamento, em vez de optarem pela propriedade direta.

3. Integração de impressão 3D

A procura de máquinas CNC tradicionais está a aumentar. Nos cenários adequados, este tipo de equipamento pode oferecer oportunidades para reduzir os custos de material e aumentar a produtividade do processo, reduzindo o custo por peça e tornando a produção facilmente escalável. No entanto, estas vantagens aumentam consideravelmente se a estes equipamentos juntarmos a impressão 3D, ideal para o fabrico de peças complexas.

Embora, nos últimos anos, tenham surgido vários fabricantes especializados em máquinas de impressão 3D, os fabricantes de máquinas-ferramenta mais tradicionais devem também considerar a integração de soluções de fabrico aditivo na sua oferta de produtos. No entanto, isto exigirá, naturalmente, investigação e desenvolvimento, engenharia e investimento. No futuro, os OEM terão de estar preparados para satisfazer as necessidades de mais empresas que desejem combinar maquinação CNC tradicional e a impressão 3D nas suas operações. Isto, mantendo em mente que, à medida que esta tecnologia de torma mais comum, ela ganha terreno ao próprio mercado das máquinas-ferramenta (a DLL refere o exemplo paradigmático da Yamazaki Mazak, que utiliza a impressão 3D na produção das suas máquinas CNC standard).

4. Microprecisão

Existe uma procura crescente de componentes e produtos cada vez mais complexos, que exigem microfabricação. Quem os fabrica precisa de equipamentos de alta precisão, que ofereçam tolerâncias mais rigorosas. A solução está em investir na incorporação de máquinas que utilizam nano ou microtecnologia, em vez de macrotecnologia. No entanto, há que ter em conta que os custos iniciais podem ser elevados.

O desafio para os fabricantes de máquinas-ferramenta é manter o ritmo e ser capaz de fornecer as máquinas de ultra-precisão que são cada vez mais procuradas. Esta é uma área especializada do negócio das máquinas-ferramenta, que pode ser bastante rentável para as empresas que a trabalhem.

5. Racionalização da cadeia de abastecimento

Tradicionalmente, os OEMs baseiam a sua cadeia de abastecimento em determinadas regiões geográficas, como a Europa Ocidental ou as Américas. Mas, hoje em dia, as empresas estão a adoptar uma visão mais holística dos seus processos como forma de melhorar a eficiência e flexibilidade ao serviço da evolução das exigências dos seus clientes. Ao tentarem equilibrar a rentabilidade com os compromissos ao nível dos serviços, consideram a possibilidade de alavancar economias de escala para tudo, desde processos de aprovação de crédito, preparação de contratos e atividades de marketing até ao inventário e estratégias de custos em toda a linha.

Isto pode exigir uma mudança de mentalidade para muitas empresas que adoptam uma abordagem compartimentada dos seus processos de venda, por exemplo. Requer também que as empresas construam relações com parceiros globais que tenham a experiência e as infraestruturas necessárias que satisfaçam os requisitos locais.

Jaba: tradução 4.0

Subscrever gratuitamente a Newsletter semanal Ver exemplo

Password

Marcar todos

Autorizo o envio de newsletters e informações de interempresas.net

Autorizo o envio de comunicações de terceiros via interempresas.net

Li e aceito as condições do Aviso legal e da Política de Proteção de Dados

ialimentar.pt

iAlimentar - Informação profissional para a indústria alimentar portuguesa

Estatuto Editorial