Murrelektronik: Emparro fontes de alimentação de última geração
Informação profissional para a indústria alimentar portuguesa

Too Good To Go cria selo de sensibilização para rótulos de validade

iAlimentar26/04/2021
A iniciativa pretende clarificar, sensibilizar e harmonizar políticas de consumo a nível internacional, por forma a reduzir o desperdício alimentar. E em Portugal já conta com 14 marcas envolvidas.
foto

Empenhada em criar soluções e não apenas em alertar para um problema, a Too Good To Go (TGTG) lançou a iniciativa ‘Observar, Cheirar, Provar’. “Um projeto de sensibilização pioneiro, que arranca com a campanha oficial com o mote ‘Faz Sentido Usar os Sentidos’ - e que pretende ajudar os portugueses a interpretar e distinguir as diferenças entre datas de validade dos produtos alimentares, possibilitando também às marcas a oportunidade destas terem um papel mais ativo e presente neste processo de educação e sensibilização conjunta, face ao desperdício alimentar”, anuncia a organização em comunicado.

A Too Good To Go salienta que “53% dos consumidores não sabe o significado do rótulo ‘Consumir de preferência antes de’ e ‘antes do fim de’; (Flash Eurobarometer, 2015); e que 49% dos consumidores da União Europeia acredita que uma informação mais clara sobre prazos de validade os ajudaria a evitar o desperdício alimentar; (Flash Eurobarometer, 2015)”, assim criou um selo para os rótulos com data de durabilidade mínima com o descritivo – ‘Antes de deitar fora - Observar, Cheirar, Provar’.

O selo será aplicado apenas em produtos com data de durabilidade mínima, pois estes, se conservados nas condições corretas, podem ainda estar em perfeitas condições de consumo. Este novo selo não será adicionado a produtos com data de consumo limite, ou seja, ‘Consumir até’

A aplicação, que criou um marketplace que possibilita uma nova oportunidade a alimentos com qualidade, e apela a um consumo mais consciente, afirma que “esta é uma iniciativa que pretende alertar para o impacto negativo que a falta de conhecimento e consequente má interpretação dos prazos de validade nos rótulos, gera na economia e no planeta”.

Com este projeto a TGTG “pretende clarificar a informação sobre os diferentes prazos de validade, sensibilizar para o desperdício alimentar resultado dessa má interpretação e harmonizar políticas de consumo a nível internacional”.

A Too Good To Go convida as marcas a aderirem a este selo

A organização convida assim “as marcas a manifestarem publicamente a sua intenção e vontade em ter um papel mais ativo nesta problemática, propondo-se a mudar, neste caso a adicionar, o novo selo com a mensagem ‘Antes de deitar fora - Observar, Cheirar, Provar’ aos rótulos com data de durabilidade mínima dos seus produtos.

O projeto será, gradualmente, aplicado a todos os países onde a empresa opera e já cria um impacto positivo em Inglaterra, Suíça, Alemanha, França e Áustria, assumindo agora a mesma perspetiva de sucesso no mercado nacional - onde já conta com 14 marcas envolvidas nesta fase de arranque.

As marcas envolvidas: Diese, Beesweet, Lacticínios das Marinhas, Branca de Neve e Espiga da Fábrica Lusitanas, Saborosa, GoGo SqueeZ e A Vaca que Ri da Bel, Montiqueijo, Quinta dos Jugais, Ferbar, El Mandarin, Pantagruel da Imperial e Hellmanns da Unilever - irão adicionar aos produtos com data de durabilidade mínima este novo selo desenvolvido pela TGTG, que recorda ao consumidor, que antes de deitar fora o produto este deve, colocar em prática os seus sentidos.

Os produtos - de data de durabilidade mínima – com o novo selo deverão ser colocados à venda entre abril de 2021 e janeiro de 2022.

“Para uma marca como a Too Good To Go, cujo propósito é combater o desperdício alimentar, a urgência de iniciativas de educação que se traduzam em ferramentas práticas e escaláveis - como é o caso da nossa app e agora deste novo selo - são uma prioridade. A necessidade de colocarmos em prática este projeto em vários países onde a Too Good To Go atua, prende-se com o facto de que, segundo os últimos dados da Comissão Europeia, 53% dos consumidores não sabe o significado dos diferentes rótulos” afirma Madalena Rugeroni, responsável da Too Good To Go Portugal e Espanha.

“A consequência são cerca de 8,8 milhões de toneladas de comida desperdiçada por ano na Europa. Estes são números aos quais não podemos fechar os olhos” reforça ainda Madalena Rugeroni.

foto

Este selo é a materialização de mais uma iniciativa de uma marca, neste caso específico, recorrendo a algo que nos é bastante acessível e lógico - os nossos sentidos - a mensagem é portanto, que antes de desperdiçar um alimento com rótulo de data de durabilidade mínima – ‘Consumir de preferência antes de’ ou ‘Consumir de preferência antes do fim de’ - pode e deve, caso o produto tenha sido conservado corretamente - Observar o produto e verificar se tem bom aspeto, Cheirar e comprovar se mantêm o odor habitual e, por fim, Provar e verificar se não existe qualquer alteração no sabor. Se o alimento passar nestes três testes simples, significa que este mantém a sua segurança alimentar e pode ser consumido. Portanto, Faz Sentido Usar os Sentidos”.

O teste dos sentidos não deve no entanto ser aplicado, em produtos com data de consumo limite, ou seja, ‘Consumir até’.

Para reforçar a importância da mensagem junto do público, a Too Good To Go convidou algumas personalidades e figuras de relevo, aliados de força, que partilham da mesma missão e cuja experiência e notoriedade gastronómica é já bastante conhecida e querida do público português. Nomes como Chef Henrique Sá Pessoa, Cátia Goarmon (Tia Cátia) e Chef Marlene Vieira, aliam-se à Too Good To Go para ajudar a levar esta mensagem a todas as cozinhas portuguesas.

Jaba: tradução 4.0

Subscrever gratuitamente a Newsletter semanal Ver exemplo

Password

Marcar todos

Autorizo o envio de newsletters e informações de interempresas.net

Autorizo o envio de comunicações de terceiros via interempresas.net

Li e aceito as condições do Aviso legal e da Política de Proteção de Dados

ialimentar.pt

iAlimentar - Informação profissional para a indústria alimentar portuguesa

Estatuto Editorial