Informação profissional para a indústria alimentar portuguesa

Aimplas trabalha em novas embalagens que prolonguem a vida dos alimentos, garantam a segurança alimentar e sejam mais sustentáveis

15/04/2021

O Aimplas - Instituto Tecnológico de Plásticos está a desenvolver o projeto 'Packaging 4.0', financiado pelo Instituto Valenciano de Competitividade Empresarial (Ivace). O objetivo é melhorar as propriedades dos materiais utilizados nas embalagens, tanto como barreira para prolongar a vida dos alimentos, como antimicrobiano para garantir a segurança alimentar, como também mecânico para melhorar a sustentabilidade e obter embalagens recicláveis e compostáveis.

foto

O desenvolvimento de embalagens mais sustentáveis para alimentos que exijam barreiras ou desempenho elevados está em conformidade com os requisitos da UE que, até 2030, todas as embalagens devem ser recicláveis.

Atualmente, aproximadamente 70% das embalagens têm uma estrutura com várias camadas, porque não há um único material que tenha todas as propriedades que uma embalagem necessita para conter e proteger o produto.

No caso das embalagens de plástico, cada tipo de material tem propriedades mecânicas e de barreira de gás diferentes.

É por esta razão que existe um grande interesse em melhorar a barreira e as propriedades mecânicas dos materiais, a fim de poder desenvolver estruturas de embalagem mais simples que permitam a sua reciclagem.

Por outro lado, existe atualmente um grande interesse na utilização de materiais produzidos através de fontes renováveis, biopolímeros, como materiais alternativos às fontes fósseis, PET, PE ou PP. Mas deve ser considerado que os biopolímeros apresentam, na maioria dos casos, piores propriedades mecânicas e de barreira. A melhoria das suas propriedades, entre outras, depende da sua utilização generalizada.

O projeto 'Packaging 4.0' estabelece três linhas de inovação para a embalagem: melhoria das suas propriedades de barreira, melhoria das suas propriedades antimicrobianas, das propriedades de barreira e mecânicas e tratamentos de superfície.

Graças a isto, espera-se obter novas estruturas de barreira de oxigénio reciclável, baseadas em compostos PVOH para produtos frescos, embalagens ativas recicláveis para produtos frescos, embalagens de barreira reciclável, através da utilização de tratamentos de superfície, plasma e e-beam e embalagens de barreira compostável através da utilização de revestimentos metalizados em materiais biológicos.

Este projeto está alinhado com os ODS - Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, ponto 9 - Indústria, Inovação e Infra-estruturas e ponto 12 - Produção e Consumo Responsável.

É financiado pela Conselleria de Economía Sostenible, Sectores Productivos, Comercio i Trabajo de la Generalitat Valenciana através dos apoios do programa Ivace com o co-financiamento dos fundos FEDER da UE, no âmbito do Programa Operacional Feder da Comunidade Valenciana 2014-2020. Estes apoios destinam-se a centros tecnológicos da Comunidade Valenciana para o desenvolvimento de projetos de I & D de natureza não económica realizados em cooperação com empresas para o ano 2020.

Jaba: tradução 4.0

Subscrever a nossa Newsletter

Password

Marcar todos

Autorizo o envio de newsletters e informações de interempresas.net

Autorizo o envio de comunicações de terceiros via interempresas.net

Li e aceito as condições do Aviso legal e da Política de Proteção de Dados

ialimentar.pt

iAlimentar - Informação profissional para a indústria alimentar portuguesa

Estatuto Editorial