Informação profissional para a indústria alimentar portuguesa

Repsol promove segurança em embalagens alimentares

Redação Induglobal07/05/2021

A Repsol realizou a II Conferência sobre Segurança Alimentar em Embalagens Plásticas, que reuniu mais de 80 empresas líderes no setor alimentar e em toda a cadeia de valor.

foto

Nesta conferência, em formato virtual devido à pandemia, estiveram presentes representantes de toda a cadeia de valor da indústria alimentar: marcas de prestígio no setor; empresas de distribuição comercial; empresas de fabrico de embalagens; associações industriais; institutos tecnológicos; organizações ambientais e organismos públicos, entre outros.

Na conferência, foram debatidas as diferentes perspetivas no âmbito da segurança alimentar em embalagens alimentares, com a participação de empresas líderes nos seus respetivos setores da indústria alimentícia, tais como o Grupo Armando Álvarez e CAPSA FOOD, a PlasticsEurope, a associação pan-europeia de produtores de matérias-primas de polímeros e o AIMPLAS - Instituto Tecnológico de Plásticos.

Após a abertura por Pablo Giner, Diretor de Polietileno da Repsol, a primeira apresentação ficou a cargo de Alicia Martín, Diretora-Geral da PlasticsEurope para a Região Ibérica, que apresentou a campanha 'Embalagens Plásticas #Designed to Protect', através da qual promoveu o uso responsável e sustentável das embalagens plásticas e apresentou as 10 razões que marcam a diferença.
Em seguida, Luis Espinosa, Diretor de Assistência Técnica e Desenvolvimento de Polipropileno da Repsol, apresentou os desafios de sustentabilidade que geram as embalagens alimentares e as soluções que a Repsol oferece. Entre elas, o fornecimento de uma vasta gama de materiais circulares com uma menor pegada de carbono e a aposta na melhoria do processo de reciclagem através da conceção de soluções mono-materiais.

Ignacio Canales, Diretor-Geral Comercial do Grupo Armando Álvarez, descreveu o ambicioso projeto Clarity. As películas Clarity oferecem uma combinação ideal de espessura, brilho e transparência, com a possibilidade de utilizar materiais de base biológica ou quimicamente reciclados, além de uma redução no consumo de energia, graças ao aumento dos rácios nas embalagens e da substituição de laminados plásticos, através de um processo de coextrusão com impressão na superfície para melhorar a reciclabilidade, o que representa um bom exemplo do valor acrescentado das embalagens desenvolvidas com polímeros para a indústria alimentar.

Posteriormente, Marta Hernández, Diretora de Qualidade e Nutrição da CAPSA FOOD, evidenciou o papel destas embalagens na criação de um futuro alimentar seguro e sustentável para todos, ligando-o aos vários ODS das Nações Unidas, e ainda a importância dos controlos de qualidade no fabrico das garrafas de leite da 'Central Lechera Asturiana', que são produzidas e desenvolvidas com polietileno de alta densidade totalmente reciclável (HDPE).

Desafios das poliolefinas recicladas para utilização em embalagens alimentares

Enrique Moliner, Investigador do Grupo de Reciclagem Mecânica da AIMPLAS, partilhou uma visão mais técnica, explicando o contexto atual e os desafios das poliolefinas recicladas para utilização em embalagens alimentares, uma vez que os sistemas de recolha de embalagens domésticas não se encontram numa cadeia fechada e controlada, pelo que são necessárias medidas adicionais para garantir que os alimentos não são contaminados.

Por fim, Piedad Curiel, Diretor do Laboratório de Poliolefinas da Repsol, destacou o serviço especializado de consultoria técnica que a Repsol oferece aos seus clientes, tendo como objetivo garantir soluções para as principais necessidades relativas aos plásticos e à segurança alimentar.

Em 2019, a Repsol tornou-se o primeiro produtor de poliolefinas a obter a certificação FSSC 22000 em todos os seus complexos industriais, reafirmando a liderança no setor da segurança alimentar. Esta certificação exigia a implementação de um sistema robusto e eficaz de gestão da segurança alimentar, que cumpre todos os requisitos dos reguladores do setor alimentar e dos consumidores finais.

A conferência reuniu mais de 80 empresas líderes no setor e representantes da cadeia de valor da indústria alimentar.

“A Repsol tem a visão de se tornar o principal produtor de poliolefinas, no que diz respeito à segurança alimentar na Europa. O plástico é um material que irá continuar a proporcionar segurança aos alimentos do futuro. Na Repsol, continuaremos a desenvolver todas as soluções sustentáveis para a embalagem que os nossos clientes exigem”, destacou Rafael Jiménez, Diretor da Unidade de Negócios de Poliolefinas da Repsol.

Com esta conferência, a Repsol demonstra mais uma vez o seu compromisso com a segurança alimentar e a sua experiência neste setor, o que lhe permite continuar a acrescentar valor e a oferecer soluções avançadas, adequadas às necessidades específicas dos seus clientes, do consumidor final, e do ambiente.

Jaba: tradução 4.0

Subscrever a nossa Newsletter

Password

Marcar todos

Autorizo o envio de newsletters e informações de interempresas.net

Autorizo o envio de comunicações de terceiros via interempresas.net

Li e aceito as condições do Aviso legal e da Política de Proteção de Dados

ialimentar.pt

iAlimentar - Informação profissional para a indústria alimentar portuguesa

Estatuto Editorial